Masterchef

Participantes divergem na hora de salvar participante e Juliana escolhe Cristina por afinidade: “Foi estratégico”, diz

Portal da Band ouviu participantes após o programa e, segundo relatos, não houve organização: “Dei esporro, falei para votarem direito. O pessoal não quer se expor, não quer sair de cima do muro”, disse Renato

Da redação, com MasterChef 14/07/2021 • 00:38
Participantes divergem na hora de salvar participante e Juliana escolhe Cristina por afinidade
Participantes divergem na hora de salvar participante e Juliana escolhe Cristina por afinidade
Carlos Reinis/Band

A prova do tímpano aterrorizou os participantes do MasterChef no episódio desta terça-feira, dia 13, mas, foi ainda mais desafiadora para Cristina, que não conseguiu desenformar sua torta italiana e viu o troféu da temporada quase escorrer pelas mãos. Quase porque a baiana de 51 anos acabou sendo salva aos 45” do segundo tempo pelo mezanino. A decisão, porém, não foi fácil e unânime. Ana Paula Padrão deu 30 segundos para os competidores decidirem quem estaria fora da eliminação e, após não entrarem em consenso, Juliana Arraes é instigada a dizer um nome: a escolha dela foi por Cristina. Gabriel acabou sendo o eliminado da vez. 

Em entrevista ao Portal da Band, após as gravações, Juliana contou que, de fato, o grupo não chegou a um consenso e que ela optou pela Cristina por afinidade. “A Juliana Nardelli estava fazendo a contagem dos votos. Quando falamos o nome da Amanda, algumas pessoas levantaram a mão, o mesmo para o Gabriel e para a Cris, mas foi confuso. Algumas pessoas levantaram a mão duas vezes e teve gente que nem levantou”, conta. “Olhei para Ju e percebi que ela não havia contado, então decidimos começar a votação outra vez. É aí que a Ana Paula me chama, a gente perde esse tempo da votação em grupo e eu decido votar por afinidade”, relata Juliana A. “Para mim, o voto de afinidade é muito estratégico. Eu sou muito coração e quanto mais pessoas que eu gosto ficarem na competição, melhor para mim”, completou.

Eduardo foi um dos que não conseguiram votar. “As três pessoas que eu estava torcendo estavam na berlinda. Votar naquele momento era muito difícil”, disse. “Não podia deixar na berlinda o Gabriel, porque o nosso santo bateu desde o início. A Amanda, conversamos muito sobre cozinha, ela é uma parceira de estudo. E a Cris, por mais que não tenha se saído bem na prova, não consegui deixar a decisão dela ser eliminada na minha mão”, completou.


José Sérgio também confirmou a bagunça na votação relatada por Juliana A. “Foram só 30 segundos, faltou organização (...), na realidade, nem deu tempo de votar”, disse. “Foi um caos generalizado, não dava pra votar, não dava pra entender...”, relatou Helena, que acredita que Juliana A. foi justa na escolha. “Quando começamos a votar, ela disse: ‘se a gente não chegar a um consenso em 30 segundos, eu salvo a Cris’. Ela fez o que tinha que fazer”, completou a competidora.

Renato e Heitor, por outro lado, não saíram satisfeitos com a decisão. “Muita gente não levantou a mão. Eu dei esporro, falei para votarem direito. O pessoal não quer se expor, não quer sair de cima do muro. Nas escolhas ali, a Amanda teria subido. Se tivesse mais 30 segundos, por votos, quem teria subido seria a Amanda”, afirmou Renato. “Para mim, o Gabriel tinha ganho [na contagem de votos], mas como não teve uma decisão assim, a Juliana optou por salvar a Cris (...) Eu tentaria salvar quem foi o consenso e não quem eu mais gostasse, seguiria o que desejo da maioria, por mais que me doesse”, finalizou Heitor.