Fórmula 1

Leclerc estava baixando o tempo da pole antes de batida de Pérez e Sainz

Monegasco diz que tempo estava 0.4s mais veloz do que volta que garantiu pole para o GP de Mônaco antes da bandeira vermelha interromper treino

Da redação 28/05/2022 • 14:16 - Atualizado em 28/05/2022 • 15:01
Charles Leclerc no GP de Mônaco
Charles Leclerc no GP de Mônaco
Scuderia Ferrari

harles Leclerc afirma que estava baixando cerca de quatro décimos do tempo da pole antes de ser obrigado a abortar a volta por causa da batida de Sergio Pérez e Carlos Sainz, neste sábado, em Mônaco. 

“Eu estava saindo bastante de traseira. Sofri para colocar os pneus na janela de funcionamento ideal por causa do tráfego. Na parte final, a traseira estava bem solta, mas mesmo assim o tempo veio. E eu estava melhorando bastante, acho que uns quatro décimos mais veloz ante de parar, então era uma boa volta”, revela. 

Pérez errou na saída da curva Portier e acabou batendo na entrada do túnel. Sainz, que vinha logo atrás, recebeu a bandeira amarela já em cima do lance, mas não conseguiu frear, batendo em Pérez e forçando a direção de prova a decretar bandeira vermelha. 

Mesmo sem ter diminuído sua própria marca de 1:11.376, o tempo do monegasco da Ferrari ainda foi 0.225 mais rápido que o do segundo colocado, o companheiro Carlos Sainz. 

“Para ser honesto, o carro estava incrível. E é muito bom ter o Carlos ao meu lado na primeira fila. Estou muito feliz pelo fim de semana tranquilo até aqui. Eu sabia que o carro tinha potencial, que eu só tinha que ir lá e fazer o trabalho”, celebra. 

Neste domingo, Leclerc terá a chance de encerrar a “maldição de Mônaco”, já que o piloto, nascido no Principado, jamais terminou uma corrida por lá. Desde 2017 foram cinco tentativas, entre F2 e F1, mas com cinco abandonos. 

A largada do GP de Mônaco está marcada para as 10h deste domingo, mas a transmissão da Band começa bem antes, às 9h. Saiba onde e como assistir.