Notícias

Cupertino pede para ser transferido para Tremembé, o "presídio das estrelas"

Acusado de matar Rafael Miguel ficará em cela isolada de CDP por 20 dias antes de ir para a cadeia

Mark Figueredo 18/05/2022 • 08:42 - Atualizado em 18/05/2022 • 08:45
Cupertino pede para ser transferido para Tremembé
Cupertino pede para ser transferido para Tremembé
Reprodução

Acusado de matar o ator Rafael Miguel e os pais dele em 2019, Paulo Cupertino pediu à Polícia Civil de São Paulo para ser transferido para a cadeia de Tremembé, conhecida como o "presídio das estrelas". 

Após ser detido no início desta semana, Cupertino passou por audiência de custódia no Fórum da Barra Funda e foi levado para o CDP (Centro de Detenção Provisória) Belém, na zona leste. 

Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária do estado, o local está superlotado com 1317 presos no regime fechado. 

Cupertino ficará por 20 dias em uma cela isolada para passar por avaliação médica antes de ser liberado para o convívio com outros detentos – procedimento de praxe, de acordo com a pasta. 

Ainda não se sabe se o pedido de transferência para Tremembé será atendido. O local ficou conhecido como “presídio das estrelas” por abrigar acusados de crimes que tiveram bastante visibilidade no país, como Elize Matsunaga, Suzane Von Richtofen e os irmãos Cravinhos, o casal Nardoni e Roger Abdelmassih.

Prisão de Paulo Cupertino

O ator de 22 anos foi morto ao deixar a jovem Isabela Tibcheran, filha de Paulo, em casa no bairro Pedreira, na zona sul de São Paulo. Eles voltavam de uma festa junina com João Alcisio Miguel, de 52 anos, e Miriam Selma Miguel, de 50 anos. Ao chegar, todos foram surpreendidos pelo pai da menina. 

Vídeo: Cupertino diz ser inocente de acusação

Um ano depois das mortes, a prisão temporária decretada se tornou preventiva.

O empresário é acusado de atirar 13 vezes em Rafael Miguel, João Miguel e Miriam Miguel por não aceitar o relacionamento da filha com o ator. Ele estava foragido desde os crimes.

Paulo Cupertino Matias tem uma ficha com ao menos nove crimes registrados entre 1990 e 1999.