Brasil Urgente

Advogado é morto a tiros em assalto em SP e polícia já tem um suspeito

Criminoso queria acesso ao celular da vítima, que passeava com a namorada e o cachorro

Déborah Lopes, do Brasil Urgente 23/08/2021 • 17:29 - Atualizado em 23/08/2021 • 17:32

Um advogado que estava passeando com a namorada dele e um cachorro foi morto com cinco tiros em Perdizes, na zona oeste de São Paulo. Um criminoso pediu que Rafael de Paula Carneiro Ribeiro, de 46 anos, desbloqueasse o celular, mas ele reagiu, levou cinco tiros e morreu no local. A polícia já tem pistas sobre o autor do crime.

Imagens de câmera de segurança obtidas com exclusividade pelo Brasil Urgente mostram quando o carro que levava o atirador estaciona em uma rua do bairro, quando o casal e o cachorrinho passam e são seguidos pelo bandido armado, que tira a arma da cintura. 

Ao abordar o advogado, o bandido pediu que ele desbloqueasse celular, mas, em vez de fazer isso, Rafael reagiu, entrou em confronto com o criminoso e levou cinco tiros. Depois disso, o criminoso saiu correndo sem o aparelho telefônico e, antes de entrar em um carro que o esperava, deixa cair outro smartphone. Enquanto isso, a namorada do advogado gritava na calçada sem saber o que fazer. 

A vítima conseguiu se levantar e um homem que estava em um carro preto, estacionado na rua, desceu para ajudar e moradores chamaram a polícia e o socorro. Rafael não resistiu e morreu no local, pouco depois de ser atingido. 

A suspeita é de que os bandidos não quisessem apenas o telefone, mas ter acesso aos aplicativos de banco para fazer transferências por PIX. 

Segundo a polícia, as investigações estão adiantadas e já há algumas pistas sobre um possível suspeito. O celular deixado para trás pelo atirador passou por perícia em busca de digitais e investigadores analisam o conteúdo do aparelho para saber se o telefone era mesmo do suspeito ou roubado.

Rafael foi cremado na noite de sábado, no cemitério da Vila Alpina, na zona leste de São Paulo. 

Em casos como esse, a polícia aconselha a não reagir. “A melhor opção é não reagir, ligar para a Polícia Militar pelo serviço 190 [...] no caso de roubo de celular, procurar abrigo, procurar ajuda de alguma pessoa passando próximo e pedir para que ligue para a polícia imediatamente”, diz o Tenente Maxwell.

  • crime; assalto; São Paulo