Notícias

Estrutura de barragem sob risco e mais chuvas mantém Pará de Minas em alerta

Estrutura da Usina Carioca transbordou e tem "fraturas"; 130 pessoas já foram evacuadas na região

Da Redação, com Rádio Bandeirantes 10/01/2022 • 12:11 - Atualizado em 10/01/2022 • 15:23

Cerca de 130 pessoas já foram retiradas da área que pode ser afetada em caso de rompimento da barragem da Usina Carioca, na região de Pará de Minas (MG), a 85 km de Belo Horizonte. A estrutura fica no limite com o município de Conceição do Pará e a enxurrada poderia atingir casas também nas cidades de Pitangui, Onça de Pitangui, São João de Cima, Casquilho de Baixo e Casquilho de Cima.

Em entrevista à Rádio Bandeirantes, o prefeito Elias Diniz (PSD), que enviou o alerta, diz que foi montado um gabinete de crise, que monitora o volume da barragem de hora em hora, e há dois complicadores principais causadas pelo dobro da chuva (140 mm, até aqui) previstas para o período: o aumento do volume causado pela erosão do solo que arrastou plantas, causando assoreamento, e outras duas barragens (Benfica e Britos) que podem trazer mais água e acelerar um possível rompimento. A estrutura da barragem está sob risco e a cidade segue em “alerta total”, já que estão previstas fortes chuvas para esta quarta-feira (12), o que pode comprometer ainda mais a estrutura da barragem.

“Nossa barragem transbordou um volume muito acima daquilo que nós tínhamos como expectativa, jamais visto aqui na própria usina, e colocou em risco a sua estrutura. Inclusive colocando o desbancamento na sua lateral e a fratura na parte que é o duto que leva água até o gerador”, explicou Diniz, que disse que a área urbana de Conceição de Minas não seria impactada em caso de rompimento. O risco acontece na região rural, nas proximidades dos Rios São João e Pará.

Segundo ele, duas famílias ainda seguem isoladas no local, e haverá o planejamento da melhor forma para o resgate. Fazendas já foram inundadas e houve a perda de suínos de alguns fazendeiros locais. 

Diniz explicou que os Bombeiros e a Defesa Civil trabalham junto à empresa Santanense, que gerencia a usina hidrelétrica, em cenários para uma evacuação mais ampla, se necessário. Ele ressalta que a usina já transbordou em 1987, mas nunca nada com o volume de água das chuvas deste ano.

Em Minas Gerais, são 138 cidades em situação de emergência até esta segunda (10). Os municípios mais castigados pela chuva nos últimos dias ficam no norte e leste do estado.

Vídeo: imagens mostram situação crítica de barragem em MG