Jornal da Band

Open Banking: cliente pode sair ganhando com novo sistema

Bancos poderão trocar informações entre si para oferecer melhores serviços

Da Redação, com Jornal da Band 26/05/2021 • 20:44 - Atualizado em 26/05/2021 • 20:48

Um nome em inglês e um assunto que poucos conhecem a fundo: Open Banking, ou sistema financeiro aberto. Já ouviu falar? Você vai entender por que pode sair ganhando com uma mudança que vai aumentar – e muito – a concorrência entre os bancos.

Hoje, todas as informações financeiras de uma pessoa estão nas mãos do banco onde ela tem conta. É como se fosse um arquivo. E, com base nesse histórico, ele autoriza (ou não) um empréstimo, limite para o cartão e outros serviços.

Com o Open Banking, se o correntista pedir, todas essas informações poderão ser compartilhadas com outra instituição. A ideia é que esse segundo banco possa avaliar com segurança – e, com isso, oferecer melhores condições ao cliente.

“A concorrência vai ser muito mais acirrada. Os bancos estão investindo mais no analitics, na questão do processamento e consumo massivo de dados para conseguir conhecer cada vez melhor o cliente”, explicou Flavio Guimarães Neto, vice-presidente do BMG.

O Open Banking começou a ser implantado em fevereiro, com o desenvolvimento de tecnologia e testes. A segunda etapa, considerada estratégica, começa em julho, com o compartilhamento de informações.

Mas, para isso, é preciso atrair o cliente. Ele precisa autorizar e indicar para qual instituição as informações pessoas serão enviadas. E, de olho em todas as transformações que isso poderá trazer, os bancos já começaram a se mobilizar.

“A gente já lançou um site para que as pessoas nos informem seu interesse em compartilhar seus dados conosco. E também já conheça como vai ser esse processo de consentimento”, anunciou Jayme Chapaque, superintendente executivo de tecnologia e inovações do Santander.

“A nossa ideia é oferecer a melhor experiência possível para nossos clientes neste contexto de Open Banking, de compartilhamento de dados. Então, por exemplo, um dos serviços que planejamos oferecer é que o cliente possa, no próprio aplicativo do Santander, acessar seus dados de outras contas para facilitar sua gestão financeira.”

Para Thiago Borsari, diretor de negócios digitais do Banco do Brasil, o desafio agora é informar.

“O grande desafio é: ajustar produtos, serviços, formas de atendimento – seja digital, seja na agência física – para que a gente possa conhecer melhor o cliente, usar e oferecer as melhores soluções e benefícios do Open Banking”, afirmou.

A principal vantagem para os bancos é conseguir novos clientes reduzindo o risco da operação. Para o bom pagador, é a possibilidade de buscar juros e taxas menores. E toda essa mudança vai exigir mais atenção.

“Não cair em golpes. Ou seja, os bancos têm uma política rígida de compartilhamento de dados. Então, não é um link, um e-mail que vai pedir para você passar informações. Não é o cliente que passa as informações. A troca é feita entre as instituições financeiras, entre os bancos”, explicou Joelson Sampaio, professor de Economia da FGV.