Primeiro Jornal

Empresário é sequestrado após ir a encontro por aplicativo em São Paulo

Os sequestradores que estavam no local do cativeiro conseguiram fugir e, até o momento, ninguém foi preso

Matheus Pastori e Mark Figueredo, no 1º Jornal 29/11/2021 • 06:55 - Atualizado em 29/11/2021 • 10:12

Um empresário, de 50 anos, marcou um encontro por um aplicativo de relacionamento, caiu em um golpe e foi sequestrado na zona oeste de São Paulo. O caso aconteceu na noite do sábado (27). A vítima só foi localizada na noite deste domingo (28), na comunidade São Remo. 

De acordo com a Polícia Militar, o empresário marcou um encontro pelo app de relacionamento Tinder. A vítima é dono de uma empresa metalúrgica. O homem supostamente fazia contato com uma mulher, cujo perfil, com fotos e áudios, foi forjado pelos criminosos.

Ao chegar ao local combinado em sua moto, a vítima ligou para a suposta mulher com quem se encontraria, momento no qual foi rendida por quatro homens armados a bordo de um carro roubado. 

Assim, o homem foi encapuzado, feito refém e levado ao cativeiro dentro da favela. Através de denúncias anônimas que davam conta de um possível sequestro em andamento, a PM foi acionada.

Com as características do carro dos bandidos, os policiais conseguiram localizar o barraco usado para manter o homem refém. Dois criminosos, ao perceber a presença dos militares, fugiram ao subir em telhados de barracos vizinhos, e se livrando de armas que traziam consigo. 

Os policiais encontraram o empresário encapuzado em um ambiente insalubre. A vítima havia acabado de ser desamarrada, após passar mais de um dia nesta situação. 

Durante o período em que ficou sob o poder dos criminosos, os sequestradores obrigaram o empresário a fazer uma série de transferências via PIX. 

O empresário foi agredido com socos, chutes e coronhadas durante o sequestro. A vítima relatou aos policiais que os assaltantes foram bastante violentos e que viveu momentos de terror.

Os criminosos que estavam no local do cativeiro conseguiram fugir e, até o momento, ninguém foi preso.

A PM acredita que os bandidos já tenham atuado desta mesma forma em outros episódios e que eles estejam se especializando em usar este tipo de aplicativo para realizar os golpes e sequestros. O caso foi registrado pelo 91º DP, onde deve ser investigado.