Primeiro Jornal

Homem suspeito de mandar matar duas mulheres em Paraisópolis é executado

Polícia informou que Gilberto Lopes Pontes teria sido executado pelo tribunal do crime

Igor Calian, no 1º Jornal 02/09/2021 • 07:35 - Atualizado em 02/09/2021 • 14:43

A polícia informou que o homem que deu a ordem para matar duas amigas na favela de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo, foi executado pelo próprio tribunal do crime.

Segundo o diretor do DHPP, o delegado Fábio Pinheiro Lopes, o criminoso identificado como Gilberto Lopes Pontes, o Tobe, que deu ordem para a execução das amigas Júlia Garcia e Claudia Cristina Menezes, na comunidade de Paraisópolis, em junho deste ano foi morto pelo próprio crime organizado.

Tobe, ligado à facção Paulista PCC, não teve autorização da liderança para mandar matar as duas amigas, sequestradas na saída da balada, a Paraiso na Laje. De acordo com as investigações, Tobe era um dos fornecedores de drogas para as duas maiores comunidades da capital, a Paraisópolis e a Heliópolis. 

Elas foram sequestradas, torturadas em um cativeiro, mortas e os corpos foram jogados à beira do Rodoanel, quase uma semana depois. A polícia acredita que, a motivação tenha a ver com a atuação do tráfico de drogas em Paraisópolis e a briga entre facções rivais.

  • Segurança Pública