Primeiro Jornal

Polícia pede que advogado acusado de matar namorada fique preso em batalhão da PM na Bahia

O pedido foi feito após a prisão preventiva ser convertida em domiciliar, por não existir uma sala especial em que ele deveria ficar

Estele San Juan, no 1º Jornal 20/10/2021 • 06:50 - Atualizado em 20/10/2021 • 08:49

A Polícia Civil da Bahia pediu à Justiça que o advogado criminalista Luiz Meira Júnior acusado de matar a namorada cumpra prisão no Batalhão de Choque da PM. O pedido foi feito após a prisão preventiva ser convertida em domiciliar, por não existir uma sala especial em que ele deveria ficar.

Kesia Stefany da Silva Ribeiro, de 21 anos, se encontrou com o advogado na noite do último sábado (16), com quem mantinha um relacionamento há dois anos. Segundo a defesa do advogado, eles tiveram uma discussão, Kesia pegou uma arma no cofre e quando Júnior tentou desarmá-la houve um disparo acidental. Ele foi preso em flagrante.

A família de Kesia contesta a versão da defesa. Segundo uma tia da vítima o relacionamento era conturbado porque o advogado tinha ciúmes da mulher.