Notícias

Veja as cidades que cancelaram as festas de Ano Novo por causa da pandemia

Alguns municípios vão permitir festas particulares que sigam protocolos sanitários

Da Redação, com BandNews FM 29/11/2021 • 19:14 - Atualizado em 06/12/2021 • 06:12
Capitais brasileiras decidem cancelar festas para conter o contágio da covid-19
Capitais brasileiras decidem cancelar festas para conter o contágio da covid-19
Divulgação

Pelo menos 21 prefeituras de capitais do Brasil e o Distrito Federal já confirmaram que não pretendem fazer festas de Réveillon 2022. Elas devem permitir, no máximo, comemorações particulares, de acordo com protocolos específicos. Mas não vão organizar shows para evitar aglomerações. E algumas farão shows com fogos de artifício.

Os cancelamentos das festas de virada de ano ocorrem em meio a notificação de casos da variante ômicron no Brasil. Veja quais já confirmaram que não promover comemorações com apoio das respectivas prefeituras:

Rio de Janeiro (RJ)

A tradicional festa de Réveillon do Rio de Janeiro na praia de Copacabana está cancelada. O prefeito Eduardo Paes fez o anúncio no sábado (4), após reuniões de comitês científicos. Paes ainda destacou: “Tomo a decisão com tristeza, mas não temos como organizar a celebração sem a garantia de todas as autoridades sanitárias". O governador Cláudio Castro afirmou que, durante a semana, uma reunião deve ocorrer para que a decisão final sobre o assunto seja tomada.  

São Paulo (SP)

Salvador (BA)

O cancelamento foi oficializado nesta segunda-feira (29). O prefeito Bruno Reis fez o anúncio oficial no Twitter. As comemorações de Salvador começariam a partir do dia 28 de dezembro e seguiriam até o dia 1° de janeiro de 2022. 

"Diante da chegada de uma nova variante do coronavírus e do aumento de casos na Europa, estou tomando a decisão de cancelar o Virada Salvador desse ano. Sei da importância do evento para economia da nossa cidade, mas seguimos colocando a vida das pessoas em primeiro lugar".

Florianópolis (SC)

Quem confirmou a informação sobre o cancelamento foi o superintendente de Turismo do município, Vinicius de Lucca, em entrevista coletiva. Ele acredita que shows pirotécnicos, com balsas e fogos de artifício, não vão causar aglomeração, já que o palco de shows não estará montado. O prefeito Gean Loureiro disse que o município não cancelou a festa pois o evento, na verdade, nunca chegou a ser anunciado.  

Fortaleza (CE)

O prefeito José Sarto publicou no Twitter uma mensagem para explicar por que não haverá festas públicas, apesar da boa vacinação no estado.

"A prefeitura de Fortaleza não irá promover evento público de Réveillon deste ano, embora a vacinação contra a covid-19 vá bem e os números de internações e óbitos sigam estáveis em níveis baixos. Até chegamos a considerar a possibilidade de realizar nossa tradicional festa da virada, se a situação permitisse, mas não podemos relaxar, sob pena de colocarmos todo o trabalho feito até aqui a perder. O cenário internacional é preocupante e estamos em alerta", escreveu José Sarto.

Belo Horizonte (MG)

Belo Horizonte vai ficar mais um ano sem festa de réveillon aberta ao público. A decisão é baseada em uma nota técnica do Comitê de Enfrentamento à Covid de BH, que desaconselhou a prefeitura da capital a patrocinar e encorajar a população a participar de eventos que possam implicar em grandes aglomerações.

João Pessoa (PB)

O prefeito de João Pessoa, Cícero Lucena, cancelou o Réveillon e fez o anúncio durante entrevista coletiva. Mas ele disse que a praia vai estar liberada para livre circulação de pessoas. E as festas particulares estarão liberadas.

Palmas (TO)

A prefeitura divulgou uma nota oficial para cancelar o Réveillon e informou que "considera que nas condições atuais é precoce realizar uma festa visto que ocorrerá aglomerações e, portanto, risco iminente de proliferação do vírus".

Campo Grande (MS)

Em declarações à imprensa local, Marcos Trad, prefeito de Campo Grande, confirmou o cancelamento do Réveillon. Até já indicou que não deve realizar Carnaval também. "Ainda estamos decidindo, todavia devemos acompanhar a ciência e analisar se haverá Carnaval. Mas Campo Grande deve divergir do Estado, estamos caminhando para isso. O Réveillon não vai ter, seria uma afronta à ciência e um desrespeito à cidade”, declarou o prefeito à reportagem.

Distrito Federal

Na terça (30), o governador Ibaneis Rocha anunciou, por meio de seu perfil no Twitter, a decisão em cancelar as festas programadas para o Réveillon. “Não podemos arriscar um retrocesso neste combate”, justificou.

Natal (RN)

A Prefeitura confirmou o cancelamento nesta quarta-feira (1) e disse que é importante "reforçar cuidados sanitários diante do quadro atual da pandemia". Estavam previstos shows musicais na Redinha e queimas de fogos. Nada disso vai acontecer.

Recife (PE)

A capital pernambucana terá apenas queima de fogos sem estampido em quatro balsas na orla de Boa Viagem, além de espetáculos no Ibura, Lagoa do Araçá, Jardim São Paulo e Morro da Conceição. A informação foi confirmada pelo prefeito João Campos (PSB).

Vídeo: 16 capitais e o DF exigem “passaporte da vacina”

São Luís (MA)

Eduardo Braide, prefeito de São Luís, anunciou o cancelamento. “Temos enfrentado a pandemia com determinação. Com isso, diante do surgimento da nova variante do coronavírus, tomei a decisão de não realizarmos o Réveillon em São Luís”, escreveu ele em seu Twitter. “O momento nos pede prudência e responsabilidade. A nossa principal missão é cuidar das pessoas”.

Belém (PA)

O prefeito Edmilson Rodrigues deixou claro que não vai organizar quaisquer comemorações, incluindo "desfiles das escolas, blocos de ruas e demais manifestações culturais de rua".

Aracaju (SE)

Edvaldo Nogueira, prefeito da capital sergipana, pediu cautela e confirmou o cancelamento. Ele também é presidente da FNP (Frente Nacional de Prefeitos) e defende que outras cidades não promovam aglomerações.

Cuiabá (MT)

O prefeito Emanuel Pinheiro cancelou eventos públicos e proibiu inclusive festas particulares. Ele explicou que tomou essa decisão por medo de uma terceira onda de covid-19. Mas ressaltou que pode fazer mudanças se o cenário epidemiológico mudar.

Vitória (ES)

Vitória cancelou festividades de réveillon pelo segundo ano consecutivo. Mesmo com o avanço da vacinação e com 100% dos adultos imunizados completamente, a preocupação da gestão municipal recai sobre o avanço da variante ômicron em outros países.

Segundo o prefeito da capital capixaba, Lorenzo Pazolini, a decisão é definitiva, mas não há uma decisão sobre o Carnaval. A prefeitura também irá fiscalizar as praias para evitar que a população monte tendas e realize festas na orla do município.

Porto Alegre (RS)

As festas da capital gaúcha seriam feitas na Orla do Guaíba, junto à Usina do Gasômetro. Mas o prefeito Sebastião Melo (MDB) cancelou os eventos e manifestou preocupação com a ômicron. "É uma medida de cautela, em um cenário impreciso quanto à dimensão e ao potencial de gravidade".

Curitiba (PR) e Goiânia (GO)

Tanto a capital paranaense, quanto a capital goiana não costumam realizar festa de Reveillon, o que deve ser mantido apesar de não terem se manifestado oficialmente.

Maceió (AL)

JHC, prefeito da capital alagoana, disse pelo seu Twitter que as festas na capital alagoana estão canceladas após novas informações das autoridades sanitárias e atualizações científicas.

Manaus (AM)

O cancelamento foi anunciado pelo prefeito Fernando David no último sábado (4), em eventos previstos em Ponta Negra e Arena da Amazônia.