Band Rio

Miss Transex Brasil 2019 foi presa acusada de golpes em programas sexuais

Após dopar as vítimas, ela fazia transferências via pix e levava os pertences dos homens

Thales Teixeira (Sob supervisão de Natashi Franco) 29/11/2021 • 15:33
Mikaelly dopava as vítimas e depois roubava pertences fazia transferências bancárias
Mikaelly dopava as vítimas e depois roubava pertences fazia transferências bancárias
Foto: Reprodução/Redes Sociais

No domingo (28), a Miss Transex Brasil 2019, Mikaelly da Costa Martinez, de 25 anos, foi presa na praia de Ipanema, na Zona Sul do Rio. Ela é acusada de aplicar golpes do pix após dopar as vítimas, com uma substância conhecida como “boa noite cinderela”, em encontros sexuais.

Mikaelly é apontada pela polícia como chefe de uma organização criminosa que rouba clientes durante programas ou encontros sexuais. 

Segundo a polícia, ela atraía as vítimas pelas redes sociais e, ao chegar no motel, os dopava para fazer transferências via pix, que chegavam a R$ 6 mil, além de roubar objetos de valor, como celulares e jóias.

“São três pessoas identificadas até agora. São pessoas transex, que cometem o crime com ela. E essas pessoas surgem no momento em que a vítima chega ao hotel. Então a vítima, quando chega ao hotel, é surpreendida por mais uma pessoa e perde aquele sentido de autocuidado e acaba tomando a bebida que é ministrada pela pessoa que ele acabou de conhecer. As transferências pix são feitas na faixa de 3 a 5 mil reais e ela também tentou fazer empréstimos para fazer novos pix, porém, nesse inquérito que a gente identificou, ela não conseguiu”, informou o Delegado Leandro Gontijo, da 16ª DP da Barra da Tijuca.

Apesar de viver atualmente em Santa Catarina, Mikaelly já esteve algumas vezes no Rio de Janeiro em 2021 para aplicar golpes. Uma das vítimas que procurou a polícia, teve um prejuízo de R$ 3 mil.

“Aqui ela não admitiu. Ela disse ter sido pagamento de programas sexuais. No entanto, não é o que as vítimas relatam. Elas relatam terem acordado dopadas e sem bem nenhum. Sem celular, dinheiro desviado da conta bancária, isso não parece nada com um pagamento de um programa”, afirmou o delegado.

A Miss Transex Brasil 2019 já responde por um homicídio que aconteceu em 2015, além de ser suspeita de aplicar o “boa noite cinderela” nas cidades de São Paulo, Florianópolis e Balneário Camboriú.

Pelas redes sociais, os representantes do concurso comunicaram que Mikaelly perdeu o título de Miss Brasil Trans por conta da conduta irregular perante a lei. Eles ainda ressaltaram que esse foi um fato isolado e único nos 27 anos de concurso, e que a luta por mais visibilidade continua firme e forte.  

  • Miss Transex Brasil 2019 presa golpe programas sexuais