Band Rio

Preço de material escolar varia quase 300% de uma loja para outra

Levantamento do Procon-RJ, na capital, mostra que cliente pode pagar uma diferença de até 290% numa tesoura sem ponta

Felipe de Moura (sob supervisão de Natashi Franco) 21/01/2022 • 14:57
Preço de material escolar varia quase 300% em lojas do Rio
Preço de material escolar varia quase 300% em lojas do Rio
Divulgação

Pesquisa realizada pelo Procon Estadual do Rio, entre os dias 10 e 19 de janeiro, identificou variação de quase 300% em itens da lista de material escolar. O levantamento coletou os preços de 415 produtos em 32 estabelecimentos das Regiões Metropolitana, Serrana e dos Lagos, Norte e Sul Fluminense e na internet.

Com a análise dos dados, os servidores identificaram variação de até 297% quando comparado o produto de igual marca em diferentes estabelecimentos. Alguns dos itens pesquisados foram: diferentes tipos de lápis, apontador, borracha, caderno, caneta, tesoura, corretivo, dicionário, dentre outros. Na capital Fluminense, a maior foi variação da tesoura sem ponta: 290% entre um estabelecimento e outro.

Em sites, o mesmo caderno de matéria de 200 folhas foi encontrado por R$ 39,99 em uma loja virtual e por R$ 22,30 em outra, uma oscilação de 79%. O apontador teve uma variação de preço de 297%, enquanto a massa modelar, 149%.

“Se eu tiver a oportunidade de escolher, é claro que eu vou pesquisar antes de comprar. Com essa variação das coisas de material escolar, vou procurar melhor ainda. Antes de comprar vou em várias lojas e só depois compro”, comentou Denise Mariano Costa, mãe da Isabel Mariano Costa, aluna do 2º ano do Ensino Fundamental da Legacy School, escola do Recreio dos Bandeirantes, Zona Oeste do Rio.

A pesquisa do Procon-RJ tem como principal objetivo fazer com que os consumidores economizem na hora das compras de material escolar.

“O levantamento de preços mostra que se o consumidor pesquisar, ele consegue economizar muito na compra de lista de material escolar. É importante lembrar que a instituição de ensino só pode solicitar itens de uso individual do aluno ou que sejam utilizados em atividades previstas no plano pedagógico”, ressaltou o presidente do Procon-RJ, Cássio Coelho.