Fórmula 1

Pódio de Alonso no Catar rende elogios de Prost: “melhor piloto do grid”

Depois de mais de sete anos, Príncipe das Astúrias retornou ao pódio e fez vários personagens da Fórmula 1 comemorarem

Da Redação 23/11/2021 • 14:16
Alonso comemora terceiro lugar no Catar
Alonso comemora terceiro lugar no Catar
F1

Fernando Alonso, da Alpine, escreveu no último domingo (21) mais um capítulo de sua longa história na Fórmula 1, no Grande Prêmio do Catar, em Losail. Ele terminou em terceiro lugar, atrás apenas de Lewis Hamilton (Mercedes) e Max Verstappen (Red Bull), e regressou ao pódio depois de 7 anos, 3 meses e 25 dias – o segundo maior intervalo entre dois pódios na história.

O resultado do piloto espanhol no Catar rendeu elogios nada modestos do ex-piloto e tetracampeão mundial Alain Prost – que também é diretor não-executivo da Alpine.  

“Pra mim, é o melhor piloto do grid. O aspecto geral da corrida, o gerenciamento de pneus, as explicações que deu sobre o carro e a forma como informava os engenheiros foram incríveis”, falou Prost em entrevista à revista alemã Auto Motor und Sport.

A performance de Alonso não era esperada. Pelo contrário, justamente na coletiva antes da corrida no Catar, o bicampeão mundial afirmou que não criava expectativas de um pódio. O fato de estar em uma equipe intermediária também pesava na manutenção do jejum.

O terceiro lugar e o fim de semana positivo também foram destacados pelo companheiro Esteban Ocon em entrevista após a corrida. “Final de semana muito positivo. Fernando [Alonso] foi exuberante neste final de semana. Parece uma vitória”, comentou o francês.

Outro que comemorou o desempenho do bicampeão mundial foi Max Verstappen.  “É uma pena que Checo não tenha conseguido subir ao pódio, mas somamos bons pontos para a equipe. Mas me alegro também por Fernando. Todo sabemos o quão bom ele é, isso não há nenhuma dúvida”, disse o piloto holandês em entrevista coletiva da FIA.

Entre os maiores

Fernando Alonso é um dos pilotos mais consagrados do grid de 2021. Na sua carreira pela Fórmula 1, participou de 335 GPs (só fica atrás de Kimi Räikkönen na história com 352) e conquistou dois títulos mundiais (em 2005 e em 2006), 32 vitórias e chegou ao 98º pódio. Além da Alpine, outras quatro escuderias já contaram com os serviços do espanhol: Minardi, e as gigantes McLaren, Renault e Ferrari.

Entre 2015 e 2017, Alonso fez parte da McLaren, que tinha o motor Honda. A parceria não deu muito certo, com resultados frustrantes. Mas mesmo assim, o diretor de F1 da Honda, Toyoharu Tanabe, parabenizou o “Príncipe das Astúrias” pelo pódio no Catar.

“Parabéns ao nosso ex-amigo da Honda, Fernando Alonso, pelo pódio. Ele fez uma grande corrida, mostrando que tem excelentes habilidades de gerenciamento de pneus”, escreveu Tanabe.

Alonso pode conquistar mais vitórias em 2022?

A Fórmula 1 de 2022 promete ser uma “folha em branco” com o novo regulamento e o teto de gastos para as equipes. Na teoria, as escuderias intermediárias vão ter condições de competirem em iguais condições com as gigantes Ferrari, Red Bull, McLaren e Mercedes.

Com a evolução da Alpine, Fernando deseja disputar o título mundial em 2022: “É difícil prever o que vai acontecer nos próximos anos. Mas sim, adoraria estar na luta com eles [Hamilton e Verstappen]. Quem fizer um bom carro no ano que vem… Acho que é um reset para todos, e cabe a nós fazer um carro rápido”.

Sérgio Maurício chora ao vivo com homenagens; assista:

“Não é como neste ano, que foi uma continuação da última temporada, mas em 2022 todos terão as mesmas cartas, por isso temos de jogar de forma mais inteligente e, com sorte, fazer um carro rápido. Se estivermos nessa posição, eu me sinto forte e pronto para enfrentar a batalha. Vamos ver”, completou.