Bora SP

Pai do homem que tatuou nome no rosto de ex-namorada diz que ela permitiu

Servidor público disse que não concorda com ações do filho, mas negou que garota tenha sido forçada

Da Redação, com Bora Brasil 25/05/2022 • 08:25 - Atualizado em 25/05/2022 • 08:38

O pai de Gabriel Coelho, rapaz que tatuou seu nome no rosto da ex-namorada, prestou depoimento à polícia na terça-feira (24) e alegou que a tatuagem foi consentida por Tayane Caldas, 18 anos. O caso ocorreu em Taubaté, no interior de São Paulo. 

Em entrevista à Band, o servidor público disse que não concorda com as ações do filho, mas negou que Tayane tenha sido forçada. 

Tayane tinha duas medidas protetivas contra Gabriel, que proibiam que ele se aproximasse dela. O pai do rapaz confirmou que os jovens tinham uma relação conturbada e que dirigiu o carro que levou a ex-nora à casa onde foi agredida. Ele disse, no entanto, que ela não foi mantida em cárcere e que entrou no carro por vontade própria.

Investigação

A conduta do pai de Gabriel Henrique Alves Coelho, suspeito de tatuar à força o próprio nome no rosto da ex-namorada em Taubaté (SP), deve ser investigada pela polícia. 

O jovem foi preso após desrespeitar medida protetiva que o impedia de se aproximar da garota. A investigação quer saber se houve participação ativa do pai no ato de levá-la até o local onde ela foi mantida em cárcere.

Tayane Caldas, de 18 anos, disse que foi sequestrada e mantida em cárcere no fim de semana, quando teve o rosto tatuado com o nome do ex.

O pai de Gabriel teria dirigido o carro que levou a jovem até a casa onde ela foi tatuada à força pelo filho dele.

A Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) investiga o caso. 

Violência

A jovem sequestrada que teve o rosto tatuado pelo ex-namorado, em entrevista ao Brasil Urgente, nessa segunda-feira (23), disse que o agressor sempre foi violento e que já recebeu ameaças de morte. 

"Quando teve a primeira agressão, eu terminei. Fiquei o período de um ano sem ele. Ai tentei acreditar e voltei. Não foi diferente, ele começou a fazer tudo. Quando tentava terminar, não conseguia mais. Ele fazia ameaças. Ele falava que ia matar minha mãe, que ia atrás dos meus pais, dos meus irmãos”, disse a vítima.

O suspeito de 21 anos foi preso no último domingo. Gabriel é investigado pela Delegacia da Mulher de Taubaté por sequestro e tortura. Ele tatuou o nome no rosto da ex-namorada como se ela fosse propriedade dele. Ao entrar em contato com a vítima, o rapaz descumpriu duas medidas protetivas, uma de 2021 e outra deste ano.

Ainda na entrevista ao apresentador José Luiz Datena, a jovem lembrou-se do início do relacionamento, de como o então companheiro era gentil e querido pela família dela. Por outro lado, a personalidade controladora e ciumenta começou a aparecer depois do terceiro mês de relacionamento.

“O começo do relacionamento era normal, como qualquer outro. Saía todo mundo junto. Ele vinha à minha casa, e minha mãe gostava dele. A partir de três meses, ele mudou por completo, quando ele começou a me proibir de sair com amigos, queria ter acesso a todas minhas redes sociais. Eu não podia sair com meus pais sem ele e não parou mais”, continuou.