Canal Livre

Filho de Portinari relembra trabalho do pai ao pintar painéis para ONU

Canal Livre deste domingo (10) recebe João Candido Portinari, filho de Candido Portinari, um dos maiores pintores do Brasil

Da redação

A vida e obra de Candido Portinari será o tema do Canal Livre deste domingo (10). Para essa discussão, tem alguém melhor que o filho dele, João Candido Portinari, para falar da importância do pai? Entre os assuntos comentados no programa, o processo de criação dos painéis “Guerra e Paz”, exposto na ONU há mais de 65 anos.

O BandNews TV transmite o Canal Livre às 20h, com a apresentação de Rodolfo Schneider e participação dos jornalistas Fernando Mitre, Adriana Araújo e Gisele Kato. Depois do Apito Final, o programa é reexibido na TV aberta, na tela da Band.

João Candido atua para manter o legado do pai, um dos maiores artistas plásticos do Brasil, revigorado em exposições no Brasil e em diversos países, num trabalho intenso à frente do “Projeto Portinari”.

Pressão política

Sobre “Guerra e Paz”, João Candido relembra momentos políticos no contexto da criação da obra. Portinari queria pintar na ONU, o que não foi possível. Com 14 metros de altura e 2 toneladas, os painéis foram divididos em 28 partes, logística necessária, já que o artista não possuía um ateliê, exceto o que ficava num quarto do apartamento onde morava no Lema, conforme contou o filho.

“Inicialmente, ele queria pintar esses painéis na ONU, no espaço onde estão hoje, mas as questões políticas impediram que ele fosse à ONU. Então, ele se viu constrangido a pintar, aqui no Brasil, e não havia um ateliê que comportasse esses 14 metros”, disse João Candido.

Uma das lembranças de João Candido pontua que o pai usava uma maquete para se guiar na pintura dos painéis.

“Voltando à ONU, ele teve que fazer em pedaços. Ele colocava um pedaço sobre o outro e tinha uma maquete do lado. Ele dizia para o Branco, um colaborador dele e grande pintor também: ‘Branco, é só seguir a maquete’”, relembrou o familiar do artista.

Quem foi Candido Portinari

Candido Portinari nasceu em 29 de dezembro de 1903, numa fazenda de café perto do pequeno povoado de Brodowski, em São Paulo. Filho de imigrantes italianos, de origem humilde, teve a infância pobre. Desde criança, manifestou a vocação artística e começou a pintar aos nove anos.

Portinari morreu no dia 6 de fevereiro de 1962, vítima de intoxicação pelas tintas. Na última década da existência dele, cria, para a sede da Organização das Nações Unidas, os painéis “Guerra e Paz”.

Tópicos relacionados