Notícias

Mãe é acusada de assassinar as três filhas dias depois de se mudar para a Nova Zelândia

Vizinhos da família relataram ter ouvido um homem gritar “Isso realmente está acontecendo?”

Mariana Lienemann, do Metro Jornal 19/09/2021 • 19:40
Mãe é acusada de assassinar as três filhas dias depois de se mudar para começar uma nova vida na Nova Zelândia
Mãe é acusada de assassinar as três filhas dias depois de se mudar para começar uma nova vida na Nova Zelândia
Reprodução/Facebook

Segundo publicação feita pelo The Mirror, uma mãe supostamente teria assassinado suas três filhas. O crime ocorreu somente alguns dias após a família ter se mudado para a Nova Zelândia, onde pretendiam começar uma nova vida. Vizinhos relataram ter ouvido gritos “assustadores” e uma mulher soluçando.

Lauren e Graham Dickinson se mudaram para o país na companhia das três filhas do casal, Maya, Karla e Liane. A família passou somente uma semana na casa após terem concluído a quarentena imposta como medida de prevenção a Covid-19.

Na noite de quinta-feira, a polícia foi chamada ao local onde encontraram os corpos das crianças. Lauren foi levada ao hospital e seu estado é estável.

Segundo relatos, Graham teria encontrado as meninas mortas e questionado entre gritos: “Isso realmente está acontecendo?”.

Lauren foi formalmente acusada pelo assassinato de suas três filhas

Uma fotografia da família foi postada nas redes sociais no dia 30 de agosto. Na imagem, as meninas aprecem sorridentes segurando Kiwis de brinquedo após pousarem na Nova Zelândia.

Graham, que é cirurgião ortopédico, e Lauren, que também trabalha como médica, teriam planejado a mudança há algum tempo e contaram com o suporte do hospital local.

Os avós das crianças fizeram uma declaração sobre o ocorrido: “Nossas famílias estão em estado de choque enquanto tentamos entender o que aconteceu. Pedimos suas orações e apoio durante este momento tão difícil. Também pedimos privacidade enquanto tentamos entender e lidar com o que aconteceu”.

Segundo os vizinhos da família, foi possível ouvir um barulho alto, seguido de sons de soluços e gemidos por volta das 21h40 da quinta-feira. Jade Whaley, uma das testemunhas, declarou: “O primeiro barulho que ouvimos foi alguém soluçando, e então ouvimos um baque forte como se alguém tivesse batido uma porta”.

A polícia lacrou a casa depois que equipes de emergência tentaram salvar as três meninas. Policiais forenses seguem analisando o local em busca de evidências.