Notícias

Caso Gael: mãe suspeita de agredir e matar filho é presa após depoimento

Andréia Freitas passou por hospital psiquiátrico e está detida em delegacia no Morumbi

Da Redação, com Primeiro Jornal, Bora Brasil e BandNews FM 11/05/2021 • 07:08 - Atualizado em 11/05/2021 • 12:03

Andréia Freitas, mãe do garoto Gael de Freitas Nunes, foi presa preventivamente no 89º Distrito Policial, no Morumbi, em São Paulo. Ela é suspeita pela morte do filho por agressão, ocorrida na última segunda-feira (10). 

A mulher de 37 anos chegou a ser internada em um hospital psiquiátrico, mas acabou transferida para a delegacia na madrugada desta terça (11). As informações são de Mark Figueiredo e Karina Cordeiro, no Primeiro Jornal e no Bora SP.

A equipe da Band flagrou, com exclusividade, as imagens da transferência da mãe de Gael para o distrito policial. 

O garoto, de apenas 3 anos, foi encontrado morto no apartamento onde morava, na Bela Vista, região central da capital, com marcas de agressão. Segundo a polícia, os agentes receberam um chamado da irmã de Gael, de 13 anos, que solicitou socorro após uma suposta agressão por parte de Andréia. 

A mãe foi encontrada no banheiro do apartamento em estado de choque, segundo os policiais. Gael chegou a ser socorrido, mas teve uma parada cardiorrespiratória e não resistiu. 

Washington Canedo, socorrista do Samu que fez o resgate da criança disse que chegou ao local e o viu “bem azul” (com cianose) e disse não ter presenciado o surto psicótico de Andréia no local (veja declaração no vídeo abaixo).

A mãe chegou a ser internada na ala psiquiátrica do Hospital do Mandaqui. Depois, prestou depoimento de aproximadamente quatro horas na 1ª Delegacia de Defesa da Mulher, fez exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal e foi levada algemada à delegacia na região do Morumbi, em uma viatura descaracterizada. Ela deve ficar em uma cela isolada, onde aguardará audiência de custódia.

A polícia espera pelo resultado dos laudos periciais para avançar com a investigação do caso.

No boletim de ocorrência, a tia-avó de Gael, Maria Nanete de Freitas, disse que Andréia não passava por nenhum tratamento psiquiátrico atualmente, mas que já havia sido internada por quatro vezes. 

Ela relatou que deu mamadeira para Gael por volta das 7h da segunda (10) e depois ouviu choros, mas achou que o garoto pedia colo para a mãe. 

Poucos minutos depois, ela disse ter ouvido ter ouvido barulhos fortes de batida, mas achou que vinham de outro apartamento. Depois de 10 minutos, ouviu barulho de vidro quebrando na cozinha e foi até o cômodo, onde se deparou com a criança desacordada no chão, coberta com uma toalha de mesa. Havia vômito espalhado pelo cômodo.

Ao perguntar para Andréia o que tinha ocorrido, a mulher não respondeu e se trancou no banheiro. Gael foi socorrido, mas não resistiu. 

Defesa diz que mãe de Gael relatou “apagão” e não sabia de morte

A defesa de Andréia Freitas, mãe do menino Gael, disse que ela lembra de estar sozinha com os dois filhos. Ele também confirmou que a suspeita tem histórico de internações psiquiátricas. Em entrevista à BandNews FM, o advogado Fábio Costa disse que ela relatou ter tido um “apagão”.  

Segundo Costa, a mãe de Gael disse que foi tomar banho e passou mal, momento em que deitou no chão do banheiro e perdeu a consciência. O advogado disse também que o apartamento teria sido arrombado com o aval do proprietário e que Andréia relatou ter retomado a consciência quando foi encontrada. Fábio Costa também disse que Andréia foi levada para delegacia sem saber que o filho tinha morrido. Andréia foi presa em flagrante por homicídio qualificado.

  • gael
  • andreia freitas
  • infanticídio
  • são paulo