Notícias

Randolfe diz que governo pode ter adotado estratégia deliberada de imunidade de rebanho

Vice-presidente da CPI da Pandemia criticou a falta de um protocolo para a pandemia

Da redação com BandNews TV 06/05/2021 • 16:52 - Atualizado em 06/05/2021 • 16:53

O vice-presidente da CPI da Pandemia, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), afirmou que o depoimento do ministro Marcelo Queiroga dá sequência ao que disseram Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich. A declaração foi dada ao repórter Erick Mota da BandNews TV.

"Está se desenhando uma convicção de que o governo brasileiro adotou deliberadamente uma estratégia de imunidade coletiva, de imunidade natural, que alguns chamam de imunidade de rebanho. Ou seja, infectar a todos para tentar conter a pandemia", disse Randolfe.

Está se desenhando uma convicção de que o governo brasileiro adotou deliberadamente uma estratégia de imunidade coletiva

Para o senador, o fato de o Ministério da Saúde não ter um protocolo sobre o uso ou não da hidroxicloroquina depois de 1 ano de pandemia sugere descaso do governo no enfrentamento do coronavírus: "1 ano e não foi resolvido algo que na mente da ciência global já está resolvido que é o chamado tratamento precoce com a hidroxicloroquina".

Randolfe afirmou que as dúvidas sobre o uso do remédio sem eficácia comprovada apontam para uma interferência não técnica. 

  • Randolfe Rodrigues