Fórmula 1

Sebastian Vettel anuncia aposentadoria da Fórmula 1 no fim de 2022

Alemão deixa a categoria com quatro títulos e promete dedicar mais tempo à família

Da Redação 28/07/2022 • 07:44 - Atualizado em 28/07/2022 • 12:02
Alemão deixa a categoria com quatro títulos e promete dedicar mais tempo à família
Alemão deixa a categoria com quatro títulos e promete dedicar mais tempo à família
Divulgação/F1

O alemão Sebastian Vettel anunciou nesta quinta-feira (28) que irá se aposentar da Fórmula 1 no final da temporada 2022.

Em vídeo publicado nas redes sociais, o tetracampeão listou as razões que o levaram a tomar a decisão. Na gravação, o piloto da Aston Martin afirmou que passou muito tempo afastado da família ao longo de sua carreira na Fórmula 1, e que agora pretende se dedicar mais à mulher e aos três filhos.

“Estou aqui para anunciar minha aposentadoria da Fórmula 1 no fim da temporada 2022. Provavelmente eu deveria começar com uma longa lista de pessoas para agradecer agora, mas sinto que é mais importante explicar as razões por trás de minha decisão”, declarou.

“Quem sou eu? Sou Sebastian, pai de três de crianças e marido de uma mulher maravilhosa (...). Tenho outros interesses fora da Fórmula 1. Minha paixão por corridas e pela Fórmula 1 vem com muito tempo passado longe deles e consome muita energia. O compromisso com minha paixão, como eu fiz e do jeito que acho que, é certo não está mais lado a lado com meu desejo de ser um grande pai e marido. A energia necessária para me tornar uma só pessoa com o carro e com a equipe, perseguir a perfeição, demanda foco e compromisso.”

“Meus objetivos mudaram, de vencer corridas e campeonatos para ver meus filhos crescerem, passando a eles meus valores, ajudando-os quando caem, escutando-os quando eles precisam de mim, não ter que dar tchau, e, mais importante, poder aprender com eles e permitir que eles me inspirem”, acrescentou.

No vídeo, Vettel dá pistas sobre o futuro e destaca a necessidade de mudanças de “aspectos que aprendeu a não gostar” nos próximos três anos, em possível referência às novidades que a F1 deverá adotar em 2026. Entre eles, a adoção de combustíveis sintéticos em substituição aos atuais combustíveis fósseis.

“Minha melhor corrida? Está por vir”, destacou o tetracampeão, que se tornou conhecido nos últimos anos pelo papel de destaques em diversas causas na Fórmula 1.

Sebastian Vettel anuncia aposentadoria da Fórmula 1 no fim de 2022

Da estreia ao futuro

Vettel estreou na Fórmula 1 no GP dos Estados Unidos de 2007, substituindo Robert Kubica na BMW-Sauber. Em sua única corrida pela equipe, conquistou de cara o oitavo lugar em Indianápolis, somando um ponto.

Naquele mesmo ano, foi promovido a titular da Toro Rosso, substituindo o norte-americano Scott Speed. Em 2008, conquistaria de forma surpreendente sua primeira vitória, levando o time ao primeiro lugar no GP da Itália.

Nas temporadas seguintes, viveu sua melhor fase na Fórmula 1 como piloto da Red Bull entre 2009 e 2014. Pelo time austríaco, foi quatro vezes campeão mundial (2010, 2011, 2012 e 2013), além de ter um vice-campeonato (2009).

Posteriormente, foi para a Ferrari, onde correu de 2015 a 2020. Apesar de ser duas vezes vice-campeão mundial (2017 e 2018), não conseguiu repetir as boas performances dos tempos de Red Bull e deixou o time italiano sem títulos. De quebra, ficou marcado pelo abandono no GP da Alemanha de 2018, escapando sozinho da pista quando liderava diante da própria torcida.

Em 2021, estreou pela Aston Martin como grande aposta da escuderia britânica, que vinha de bons resultados no ano anterior como Racing Point. Apesar de uma sequência negativa inicial de quatro GPs sem pontuar, terminou o ano tendo um pódio, graças ao segundo lugar no Azerbaijão – chegou a repetir o desempenho na Hungria, mas foi desclassificado.

O time ainda tinha a expectativa de renovar seu contrato para 2023 – o que, segundo o chefe de equipe da Aston Martin, Mike Krack, seria discutido até o fim de agosto. Agora, o time busca um substituto para o tetracampeão. Nomes como Mick Schumacher, Fernando Alonso e Oscar Piastri já foram especulados. Ao todo, até o GP da França de 2022, são 53 vitórias e 122 pódios para o alemão.