Jogo Aberto

No Jogo Aberto, Deyverson ri de memes e encara “pegadinha” sobre invasão

Atacante relembra medo após polêmica em partida contra o Galo na Libertadores: "Vão me matar"

Da Redação, com Jogo Aberto 02/12/2021 • 13:25 - Atualizado em 02/12/2021 • 16:44

Convidado especial do Jogo Aberto desta quinta-feira (02), Deyverson deu um show no estúdio do programa e arrancou risos ao comentar os memes que gerou após virar o herói improvável e marcar o gol do título do Palmeiras contra o Flamengo na Copa Libertadores.

O atacante viu uma montagem da cerimônia da Bola de Ouro que mostrava Lionel Messi, que venceu o prêmio pela sétima vez, emocionado com a jogada que definiu a vitória da equipe alviverde em Montevidéu. “Que resenha! Ele se emocionou e tudo. Qual é! Os caras zoam com tudo!”. 

Não bastasse o gol histórico do tri palmeirense, Deyvinho também viralizou depois da decisão ao simular uma falta já no fim da prorrogação diante do Flamengo. O problema: quem acertou o jogador foi o árbitro Néstor Pitana. 

“Achei que fosse o Arão ou o Matheuzinho, porque tinha discutido com ele. Não me liguei que o juiz também veio atrás de mim. Senti um toque no meu braço e depois um soco na minha costela, mané. Falei: não vem não. Vou cair e ganhar um minuto. Aí o árbitro: ‘levanta’! Eu: ‘levanta? O cara me agrediu!” E ele: ‘não foi ele, fui eu’. Aí falei: ‘então é amarelo para você’", explicou. 

Invasão contra o Galo

Deyverson, que se emocionou ao conhecer pessoalmente o ídolo Edmundo, também encarou no Jogo Aberto uma brincadeira de Héverton Guimarães. Direto de BH, o jornalista simulou uma conversa com o presidente da Conmebol afirmando que o Palmeiras seria punido pela invasão do atacante contra o Atlético-MG. “Tá tudo cancelado, Deyverson”, brincou. “Por que você fez aquilo?”. 

“Eu viro torcedor. Não tem como. É muita euforia. Eu sou agitado, sou um cara que não consegue parar nem vendo TV com minha mulher. Quando vi o Verón passando pelo Nathan falei ‘não é possível’. Tava todo mundo contra nós. Fui naquela euforia, devagar e quando vi tava lá dentro de campo”, relembrou.

O Atlético chegou a entrar com recurso na Conmebol para anular a partida pela invasão, mas o pedido foi negado. “Acabou o jogo e na internet só se falava disso. Não passava nem agulha, parceiro. Falei: os caras já me criticavam. Se der m…, esquece. Os caras vão querer me matar’”, completou Deyverson. 

O jogador inclusive admitiu que o gol decisivo na final já faz diferença no trato com o torcedor. “Crítica quando é construtiva só ajuda”, disse. “Tem pessoas na rua me pedindo desculpas e perdão. Eu falo que não preciso disso. Sou ser humano. Eu erro e falho”, concluiu.