Notícias

Governo de SP tenta avançar com privatizações em todas as linhas da CPTM

O objetivo é conceder à iniciativa privada todas as linhas da CPTM ainda sob gestão do governo de São Paulo

Ana Paula Rodrigues, da Rádio Bandeirantes 02/08/2021 • 11:00 - Atualizado em 02/08/2021 • 13:57

O governo de São Paulo tenta avançar com as privatizações de todas as linhas da CPTM ainda sob gestão pública. O objetivo é conceder à iniciativa privada todas as linhas da CPTM ainda sob gestão do governo de São Paulo.

Para isso, a primeira etapa desse processo já começa nesta semana, com a apresentação da consulta pública sobre a privatização da Linha 7-Rubi, que vai de Jundiaí ao centro de São Paulo, e do Trem Intercidades, entre Campinas e Santos, passando pela capital paulista.

O governo quer incluir nesse mesmo pacote a concessão da linha 10-Turquesa, que passa pelo ABC Paulista, como explicou a reportagem o Secretário de Transportes Metropolitanos Alexandre Baldy. 

“Essa eventual possibilidade da Linha-10 no projeto da Linha-7 mais o trem intercidades. Ali o nosso objetivo é que tenhamos três tipos de serviços. Nós temos o serviço parador, o semi-expresso e o expresso, que poderia utilizar uma linha exclusiva para que pudesse ser realizado entre São Paulo e Campinas e vice-versa em até 60 minutos. O meu objetivo é que consigamos licitar até o 1º semestre de 2022”, disse. 

As demais linhas do sistema da CPTM, 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade, estão em estudo para concessão.

No caso da 13, a diretoria da Anac aprovou recentemente um termo aditivo no contrato de concessão da GRU Airport que inclui entre as obrigações da concessionária o investimento de implantação do people mover, uma espécie de monotrilho que fará a conexão dos trens com os terminais.

Além dessa ampliação, o secretário Alexandre Baldy disse quais outras melhorias serão propostas no futuro contrato de concessão.

“Há também os estudos que começam da possível concessão das linhas 11,12 e 13 para que a gente possa também verificar se é viável. Cito aqui, por exemplo, a melhoria da estação Guaianazes, que é uma estação muito demandada, de uma extensão de mais uma estação na linha 11, chegando até o extremo da cidade de Mogi e a linha 12 que poderia voltar a integrar em Itaquaquecetuba, com a linha 11”, disse. 

O processo de privatização das linhas da CPTM começou em abril desde ano, com a concessão da 8-Diamante e 9-Esmeralda ao consórcio ViaMobilidade, formado pela CCR e Grupo Ruas, por 30 anos.

De acordo com a Secretaria Estadual de Transportes Metropolitanos, os investimentos nas duas linhas desde então chegou a R$ 3,2 bilhões.

  • linhas
  • CPTM
  • privatização
  • São Paulo
  • transporte público