Band Rio

Réveillon pode acontecer sem restrições no Rio

Evento depende de vacinação total da população carioca

Beatriz Duncan (sob supervisão) 21/10/2021 • 16:59
Réveillon depende de cobertura vacinal da população total carioca
Réveillon depende de cobertura vacinal da população total carioca
Reprodução/TV Band rIO

Copacabana lotada, céu da orla cheio de fogos. O cenário que o carioca está acostumado a ver na virada do ano pode estar mais próximo de se repetir. Com cerca de 60% da população total do Rio de Janeiro vacinada com as duas doses e a taxa de transmissão da Covid-19 em 0.65%, a mais baixa desde o início da pandemia, o réveillon 2021-2022 pode acontecer sem restrições na cidade maravilhosa.

"Cada vez a gente tem mais segurança para dizer que a gente vai ter um réveillon sem medidas restritivas. A gente vai poder voltar um pouco para o ano novo como o carioca gosta de fazer. Os números são muito favoráveis para isso. Tudo vai depender da cobertura vacinal então é importante que todos procurem se vacinar. A gente quer estar próximo, a gente quer estar junto. Estilo que o carioca gosta de ser", afirma o secretário municipal de Saúde Daniel Soranz.

Até esta quinta-feira (21), cerca de 230 mil pessoas seguem atrasadas com a segunda dose da vacina contra a Covid-19 no município do Rio. Segundo a pasta, novas flexibilizações como retirada de máscaras e suspensão do passaporte da vacina só vão acontecer com uma boa cobertura vacinal. A previsão é de que a obrigatoriedade do equipamento de proteção seja retirada, em locais abertos, quando 65% da população adulta estiver imunizada.

"Queremos 75% da população total e 90% dos adultos totalmente vacinados na cidade. Esse é o nosso objetivo. Ainda não conseguimos ter mais que isso na população total porque as crianças não podem se vacinar. (Mas) A gente quer alcançar o máximo de pessoas vacinadas", ressalta Soranz.

DOSE DE REFORÇO TÁ DE VOLTA

Depois de cinco dias suspensa, a dose de reforço voltou a ser aplicada na capital fluminense. Idosos com 67 anos ou mais já podem procurar os pontos de vacinação com a documentação necessária para se imunizar. A ideia é que todos acima de 60 anos sejam vacinados com a terceira dose até 17 de novembro.

Em caso de disponibilidade dos dois tipos de imunizante, a Secretaria Municipal de Saúde recomenda a intercambialidade de vacinas tomadas na primeira e segunda doses. De acordo com a pasta, estudos garantem a segurança e a eficácia da vacinação cruzada.

A previsão é que mais doses cheguem na tarde de hoje no município do Rio. Na última quarta (20), 120 mil doses da Astrazeneca foram enviadas pelo Ministério da Saúde.

Com as doses entregues, o calendário de imunização da dose de reforço está mantido até sexta-feira (22).

  • ano novo
  • covid
  • copacabana