Masterchef

Eliminado do MasterChef, Fernando recebe convite para trabalhar com Jacquin

Jurado ofereceu uma oportunidade ao participante na confeitaria de seus restaurantes; veja entrevista com o eliminado

Stefani Sousa 03/08/2022 • 00:33 - Atualizado em 03/08/2022 • 00:49

Fernando nunca escondeu que estava no MasterChef Brasil para jogar. Ao longo de 12 episódios, o cozinheiro amador teve destaques positivos, impressionou os jurados, entrou em conflito com colegas e dividiu opiniões. Nas redes sociais, conquistou parte do público e irritou outros. Desde o começo ele sabia que seria assim: 8 ou 80. O que o artesão não imaginava era receber um convite para trabalhar com Erick Jacquin em sua despedida. 

Eliminado no episódio desta terça-feira (02), o paulista pecou no preparo do ballotine e, em duelo com Rafael, levou a pior. O momento, que poderia ser de tristeza, foi tomado pela alegria de um possível novo emprego. “Escuta, eu tenho uma bela equipe de confeiteiros. Se quiser bater na porta lá, pode bater”, aconselhou o francês.  

Cozinheiro por paixão, Fernando não conteve a emoção em entrevista ao Band.com.br

“Sair da cozinha com o título de confeiteiro da temporada e com uma vaga no restaurante do Jacquin é um prêmio. O MasterChef vai continuar, a minha temporada não acaba aqui”, celebra. 

Polêmicas e evolução  


Na estreia da 9ª temporada, Fernando avisou que não estava no MasterChef para fazer amizades e que a estratégia para vencer envolvia também o seu visual. Estudante de figurino, ele pensou em cada look e trocou a cor do cabelo 12 vezes. 

O que mais se orgulha, no entanto, é de ter sido fiel aos seus valores, postura que acredita ter sido reconhecida pelo elenco. “Todos eles perceberam o quanto eu entrei carrancudo, um pouco cru e na defensiva. A gente vive em uma sociedade onde o homem gay tem que ser caricato, estar sempre dando risada e jogando purpurina. Eu vim na intenção de quebrar o estereótipo de que somos animadores de plateia.”  

Por vezes, seu comportamento gerou incomodo. Colegas chegaram a dizer, no programa, que ele tinha “dificuldade” para lidar com pessoas. O cozinheiro rebate as críticas: “Eu era um dos mais centrados e respeitei demais os outros. Não gritei com ninguém, ouvia quando estava errado e sempre mantive a postura”. Quem aí concorda? 

Ao término, o processo de autoconhecimento ao longo dos meses de gravação foi tão intenso que deu tempo até de rever algumas atitudes. “Eu entrei muito defensivo, um pouco soberbo. Depois, entendi que estava aqui para aprender. Foi quando abaixei a cabeça.” A falta de humildade é o que, segundo ele, pode acabar eliminando outros competidores:  

“Tem pessoas que estão começando a ficar com o “Rei na Barriga”, sabe? Acho que isso é regredir na cozinha. Quando você pensa que sabe de tudo, falta espaço para aprender”, orienta. Fica a dica! 

O que rolou no 12º episódio do MasterChef Brasil 


Convidada de honra

  

O episódio desta semana recebeu ninguém menos que a chef número 1 no mundo, a peruana Pia León. Os competidores receberam uma aula da cozinheira, degustaram um prato feito por ela e, na sequência, tiveram que reproduzir a mesma receita em apenas 1 hora e 15 minutos. 

O vencedor do desafio foi Jason, que ficou sozinho no mezanino, enquanto Rafael e Melina, duramente criticados, foram eleitos os piores da noite.  

Clássico francês 


Fernanda, Rafael, Melina, Renato, Lays e Fernando fizeram ballotine na prova de eliminação. Os participantes tiveram 1 hora e 30 minutos de cozinha para o prato principal, acompanhado de molho e uma guarnição.  

Ponto para Renato, que fez a melhor refeição da prova. Rafael e Fernando foram destaques negativos. A noite terminou com a eliminação do artesão.