Notícias

Restaurante Bawarchi, famoso pela sujeira em Pesadelo na Cozinha, supera problemas e abre 2ª unidade em SP

Stefani Sousa 22/03/2021 • 14:22 - Atualizado em 23/03/2021 • 22:16
Quando chegou ao Bawarchi, Jacquin ficou horrorizado com a bagunça e sujeita da cozinha
Quando chegou ao Bawarchi, Jacquin ficou horrorizado com a bagunça e sujeita da cozinha
Carlos Reinis/Band

Quando visitou o Bawarchi pela primeira vez, em 2019, para as gravações de Pesadelo na Cozinha, Erick Jacquin encontrou um restaurante sujo e desorganizado. A visita do chef francês foi o primeiro passo na transformação da casa de culinária indiana que, desde então, mudou hábitos ruins, passou a caprichar na limpeza e melhorou o atendimento. Nesta terça-feira, 22, a Band reprisa o episódio do restaurante, às 22h45, e Ajay, dono do lugar, conta ao Portal da Band como está o negócio. 

Em tempos de pandemia, o Bawarchi foi na contramão da realidade vivida pelos comércios e, apesar das dificuldades, conseguiu abrir uma segunda unidade no Jardins, também em São Paulo. Assim como na sede, localizada na Vila Mariana, o funcionamento acontece com entregas e oscilando, quando permitido pelo governo, com o salão aberto, respeitando as medidas de distanciamento social. Com menos clientes e uma rotina mais tranquila, a equipe foi reduzida pela metade.

“Estamos nos esforçando para vender o máximo possível por entrega ou retirada. Fazemos atendimentos personalizados pelo celular, por aplicativos de delivery, tudo o que o cliente quiser. No ano passado, ficamos dois meses fechados e depois retomamos. O novo formato não funciona como o tradicional, mas deu para sustentar e não fechar as portas. Quando a pandemia acabar, voltaremos com toda a alegria”, garante o proprietário.  

Bawarchi superou o Pesadelo (e ganhou fãs) 

Os meses seguintes à exibição do programa em rede nacional foram de bons frutos para o restaurante indiano, que passou a receber mais clientes e conseguiu provar que realmente melhorou. “Foi um período de muita alegria. As pessoas chegavam com muita positividade para provar as receitas e compreender mais sobre a culinária indiana. Fizemos tudo com boa vontade e os clientes saíram bem, elogiando a comida, tirando fotos e postando.”

Por lá, a maior curiosidade dos visitantes é descobrir se a cozinha segue limpa e, claro, experimentar e entender como é produzido o tradicional pão indiano. Para garantir o primeiro item, uma equipe se dedica totalmente à limpeza do lugar e  Ajay permite até que alguns clientes façam um tour pelo espaço para conferir os bons hábitos. Quem chega ao coração do restaurante aproveita para provar também um pão quentinho.  

Outra coisa que segue despertando a atenção do público, mesmo após tanto tempo, é a educação e cordialidade do proprietário e de sua equipe com Jacquin, que durante o episódio deu várias broncas em todos. Absorver com atenção tudo o que é dito é quase um exercício para eles: “Minha sabedoria e a minha cultura me ensinaram a levar as críticas como um ensinamento. Prefiro aprender com as pessoas ao invés de reclamar. O Jacquin é um chef, um mestre, e o melhor que podemos fazer é enxugar tudo o que ele tem para ensinar”, diz Ajay. Baita lição!