Blog Grid
Notícias

E depois de Verstappen? 7 jovens pilotos holandeses que podem pintar na Fórmula 1

Emanuel Colombari 06/01/2022 • 10:58
Bent Viscaal (Imagem: Dutch Photo Agency)
Bent Viscaal (Imagem: Dutch Photo Agency)

É natural que o título de um piloto na Fórmula 1 atraia diversos compatriotas ao caminho para a categoria. Basta lembrar os brasileiros que vieram após os títulos de Emerson, Piquet e Senna, os alemães que vieram pós-Schumacher e os espanhóis pós-Alonso.

Assim, também é natural esperar que Max Verstappen ajude a colocar mais holandeses no caminho da categoria máximo do automobilismo mundial. Responsável pelas primeiras vitórias, pelas primeiras pole positions e pelo primeiro título da Holanda na F1, o piloto da Red Bull ainda tem uma longa trajetória pela frente, mas não será de se estranhar caso passe a dividir as pistas com adversários dos Países Baixos.

Leia também:

Alguns nomes na esteira já estão perto da Fórmula 1. Outros ainda têm alguns degraus a subir. Confira sete deles que merecem ser vistos com atenção:

Joey Alders

Teve apresentações de destaque na Ásia, com o título da temporada 2019 da Fórmula Renault asiática e o da temporada 2019/2020 da Fórmula 3 asiática. No entanto, na Europa, foi o 19º colocado na temporada 2020 na Eurocopa de Fórmula Renault 2.0 (disputou apenas duas etapas), correndo a European Le Mans Series em 2021. Parece se afastar dos monopostos.

Kas Haverkort

Campeão da Fórmula 4 espanhola em 2020 com a equipe holandesa MP Motorsport, teve desempenho apagado com o time na Fórmula Regional Europeia em 2021 com o mesmo time. Em 2022, aos 18 anos, tenta uma segunda chance no campeonato, mas a bordo da Van Amersfoort Racing.

Tijmen van der Helm

Os desempenhos até aqui não são brilhantes: foi quarto colocado na F-4 espanhola em 2019 e 12º na Eurocopa de Fórmula Renault em 2020. No entanto, vem conseguindo subir de categorias rapidamente – em 2021, esteve na FIA Fórmula 3, sem pontuar após 20 corridas. Curiosidade: foi companheiro do brasileiro Caio Collet na MP Motorsport na F-3.

Richard Verschoor

Campeão da Fórmula 4 espanhola em 2016 e vencedor do tradicional Grande Prêmio de Macau de Fórmula 3 em 2019, Verschoor estreou na Fórmula 2 em 2021, e conquistou até uma vitória – perdeu a vaga na MP Motorsports por falta de verba, mas foi resgatado no fim do ano pela Charouz para substituir o lesionado Enzo Fittipaldi. Vale ficar de olho em como evoluiu na categoria, caso permaneça.

Bent Viscaal

Apesar de bons resultados nas categorias de acesso, bateu na trave ao disputar diversos títulos – foi vice-campeão da Fórmula 4 espanhola (2017) e da Fórmula 3 espanhola (2018), por exemplo. Mesmo assim, fez duas temporadas na FIA Fórmula 3 (2019 e 2020) e chegou em 2021 à Fórmula 2, com dois pódios.

Rinus VeeKay

Já faz algum tempo que a Fórmula 1 não busca pilotos na Fórmula Indy. Mas caso volte a procurar, valeria a pena ficar de olho em Rinus van Kalmthout, o Rinus VeeKay. Com duas temporadas pela Ed Carpenter Racing, VeeKay conquistou uma vitória e um pódio – ambos no traçado misto de Indianápolis.

Maya Weug

Nascida na Espanha, filha de pai holandês e mãe belga, Maya já correu com as três nacionalidades. Depois de trajetória oscilante nos karts, chegou aos monopostos em 2021. Na última temporada, correu a Fórmula 4 ADAC (Alemanha) como convidada e a Fórmula 4 italiana, mas não pontuou.

Emanuel Colombari

Emanuel Colombari é jornalista com experiência em redações desde 2006, com passagens por Gazeta Esportiva, Agora São Paulo, Terra e UOL. Já cobriu kart, Fórmula 3, GT3, Dakar, Sertões, Indy, Stock Car e Fórmula 1. Aqui, compartilha um olhar diferente sobre o que rola na F-1.