Band Rio

Operação procura identificar integrantes da milícia de Ilha de Guaratiba

A ligação do grupo criminoso com agentes públicos também é investigada

Pedro Cardoni* 28/06/2022 • 11:46
Agentes cumprem mandados em endereços relacionados aos investigados
Agentes cumprem mandados em endereços relacionados aos investigados
Divulgação/Polícia Civil

Dezenove mandados de busca e apreensão são cumpridos em endereços ligados a integrantes da milícia que atua em Ilha de Guaratiba, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, nesta terça-feira (28). O objetivo da ação é identificar outros membros da quadrilha e averiguar se existe ligação do grupo com agentes públicos.  

A organização criminosa é investigada por invadir terrenos particulares e áreas ambientais para fazer um loteamento e vender ilegalmente o local posteriormente. As investigações apontam que essa prática tem sido intensificada na região.

O grupo invade os terrenos com muita violência, sempre em grupos grandes e fortemente armados para destruir os objetos encontrados nos locais. Os criminosos chegavam a causar incêndios nas propriedades para conseguir dominar os terrenos. A ação é da Delegacia de Repressão a Ações Criminosas Organizadas (DRACO-IE).

"Queremos saber o alcance dessa organização, quem são os responsáveis não só pela invasão, mas também pelo loteamento, pela venda, pela construção. Queremos alcançar não só esses elementos que nós já temos a identificação, mas outros também que estão ocultos e prejudicando os moradores e pessoas que tem as propriedades invadidas por criminosos" afirmou André Leiras, delegado assistente da DRACO.

*Estagiário sob supervisão de Natashi Franco