Faustão na Band

Verdadeiro ou falso? Vitor Kley testa o que sabe de estilos da 'Dança das Feras'

Cantor e compositor foi convidado para compor o júri do quadro desta quarta-feira (26)

Da redação 26/01/2022 • 16:47 - Atualizado em 26/01/2022 • 22:16
Cantor e compositor foi convidado para compor o júri do quadro desta quarta-feira (26)
Cantor e compositor foi convidado para compor o júri do quadro desta quarta-feira (26)
Reprodução

Convidado para compor o júri artístico da Dança das Feras desta quarta-feira (26), no Faustão na Band, Vitor Kley admite que é uma negação para dançar. Mas até que se virou bem com informações sobre os estilos escolhidos para as apresentações.

Em entrevista a Jaqueline Ciocci, repórter do programa, o cantor e compositor se mostrou aliviado por não ter sido chamado para participar das apresentações. Mas disse que gosta muito do lado estético do show.

“Eu entendo aquele lance do visual. Não sou um grande conhecedor. Eu sou um cara que (diz) ‘pô, achei da hora isso’, ‘que bonito isso’, ‘nossa, que impressionante’. E a sincronia também das coisas, muito ligado pelo lado musical, da sincronia da dança com a música”, explicou.

“Então, acho que tenho mais essa visão. Mas eu mesmo, como minha família, somos horríveis na dança”, completou.

Na hora de mostrar conhecimentos sobre as danças e os estilos desta quarta-feira, Vitor Kley passou de ano raspando. Na hora do jogo de “verdadeiro ou falso”, reconheceu que muita coisa foi “na base do chute clássico”.

Questionado se o flamenco seria mais do que uma dança, mas um estilo musical, acertou ao responder “verdadeiro”. “Aquilo ali é uma coordenação... É um ritmo, um passo, tem o lance do pé também. É muito bonito”, disse.

Só que o cantor errou as duas seguintes. Questionado se o kuduro seria uma dança angolana inspirada nos movimentos de Jean-Claude Van Damme no filme O Grande Dragão Branco (1988), disse que era falso (mas a afirmação era verdadeira); já se haveria apenas dois tipos de dança indiana, disse que sim (mas a afirmação era falsa).

Em compensação, emendou duas respostas certas. Sobre a valsa, acertou ser um tipo de dança campestre, embora de origem clássica. Sobre o foxtrote, sofreu, mas também respondeu corretamente sobre ser uma dança com movimentos fluidos e longos, no estilo das canções de Frank Sinatra.

“Não sei o que é isso, de verdade”, admitiu, antes de ser apresentado. “Aquela coisa meio do guarda-chuva”, completou, em referência ao filme Cantando na Chuva (1952).

E a tarantela? Será que teria algo a ver com a picada de uma aranha? Vitor Kley se mostrou desconfiado e respondeu que a afirmação era falsa, mas errou.

Acontece que o gênero nasceu na província de Taranto, no sul da Itália, onde as pessoas acreditavam que pessoas picadas por aranhas precisavam dançar para passar o veneno.

“É uma viagem. Mas massa para caramba. Muito legal”, respondeu.

Por fim, veio o merengue, que teria nascido na República Dominicana e dominado vários países latinos. Vitor Kley acertou ao dizer que a afirmação era verdadeira. De sete questões, acertou quatro e errou três.

“Viram como eu entendo de dança? Vocês nem imaginam eu dançando, é a coisa mais linda que tem”, brincou.

Sobre o ‘Faustão na Band’

O novo programa de Fausto Silva na Band, com co-apresentação de Anne Lottermann e João Guilherme Silva, é exibido de segunda a sexta-feira, sempre às 20h30, logo após o ‘Jornal da Band’. 

A cada dia, o apresentador entra nas casas brasileiras com um quadro diferente – confira a programação aqui. Musicais, revelação de talentos, homenagens e muita diversão completam as atrações de ‘Faustão na Band’.

Assista também pelo site, app BandPlay e YouTube. Não perca!