Mitre: a volta de José Dirceu aos palcos políticos após decisão do STF

Fernando Mitre analisa a atuação do ex-ministro José Dirceu, condenado pela Lava Jato, mas que obteve vitória no STF contra a operação

Fernando Mitre

Começou a carreira em Minas Gerais, onde passou por vários jornais, como “Correio de Minas” e “Diário de Minas”. Em São Paulo, integrou a equipe que criou o Jornal da Tarde, de o “Estado de S Paulo”. Dez anos depois, virou diretor de redação, posto que ocupou mais tarde, em duas outras oportunidades. Depois, assumiu a direção nacional de Jornalismo da Rede Bandeirantes, cargo que ocupa até hoje. Nesse período, produziu mais de 30 debates eleitorais, entre eles o primeiro presidencial da história do país na TV, em 89. É comentarista político no Jornal da Noite e entrevistador do programa político Canal Livre. Entre os diversos prêmios que recebeu, estão o Grande Prêmio da APCA, o Grande Prêmio do Clube de Criação de SP e três prêmios Comunique-se de “melhor diretor do ano”, valendo o título de “Mestre em Jornalismo”.

Ao se livrar dessa condenação da Lava Jato, no Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-ministro José Dirceu fica mais perto do seu plano de se eleger deputado federal. São os tribunais fazendo o caminho de volta, como em tantos casos.

O ex-ministro ainda tem outra condenação, com recurso correndo no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Vamos ver.

Jose Dirceu, agora livre daquela condenação por corrupção passiva e começando a retomar mais claramente sua trajetória na política, de onde, na verdade, nunca saiu, traz uma longa, ousada, admirada e combatida história pessoal, com início numa forte liderança estudantil, nos anos de 1960, passando pela luta armada e pelo exílio.

Sem vontade ou expectativa de ocupar cargo no governo, mas pensando na Câmara, José Dirceu tem se encontrado com o presidente Lula e tem dado algumas entrevistas. Já estava, assim, se reapresentando aos poucos.

Ele foi fundamental preparando os caminhos que levaram Lula à presidência. Ninguém duvida, nem os mais duros inimigos, que não são poucos, de sua visão e competência políticas, como não falta quem diga que ele teria um lugar importante, hoje, entre os que estão mais próximos de Lula. Na verdade, ele está por lá. O que pode agora é, com maior presença, se tornar também mais visível.